DNS (Domain Name System)

O DNS é o equivalente à lista telefónica da Internet e faz a correspondência entre os nomes que escrevemos ao tentar aceder a um recurso (ex: www.microsoft.com) e o endereço IP da máquina que presta o serviço.

 

A IPLNet tem delegada a gestão de 9 domínios DNS e respectivos sub-domínios:

  • ipl.pt
  • isel.pt
  • iscal.pt
  • local

e os inversos correspondentes aos blocos de endereços atribuidos:

  • 100.137.193.in-addr.arpa
  • 220.137.193.in-addr.arpa
  • 221.137.193.in-addr.arpa
  • 237.137.193.in-addr.arpa
  • 48.104.192.in-addr.arpa

Para prestar este serviço existem 10 servidores virtuais de DNS:

  • ns1.net.ipl.pt, ns2.net.ipl.pt, ns3.net.ipl.pt e ns4.net.ipl.pt - Servidores autoritários. (apesar de na práctica serem só 2 máquinas, estes 6 endereços (ns1 e ns2 também têm endereços IPv6) são de redes diferentes para redundância e maior disponibilidade)
  • sns1.net.ipl.pt e sns2.net.ipl.pt - Servidores que lidam com nomes cuja resposta depende da origem do pedido.
  • rns1.net.ipl.pt e rns2.net.ipl.pt - Servidores de mapeamento inverso que fazem a correspondência entre os endereços e os nomes.
  • fns1.net.ipl.pt e fns2.net.ipl.pt - Servidores que fazem cache dos pedidos dos clientes e evitam que pedidos sucessivos da mesma informação gerem comunicações para o exterior, acelerando as respostas aos clientes.

As máquinas cliente (PCs, MACs, etc.) devem utilizar estes últimos como servidores forwarders, os seus endereços IP são (pela ordem em que deve ser consultados pelo sistema):

  • 193.137.220.130
  • 193.137.220.131
  • 2001:690:2008::1ff:1400 (IPv6)